Mucolipidosis

O que é Mucolipidosis?

É um grupo de doenças metabólicas, também conhecidas como doenças de armazenamento lisossomal, todas hereditárias. Existem quatro tipos principais de Mucolipidosis doenças.

Eles afetam a renovação do corpo do material dentro das células. Isso, por sua vez, leva a um aumento de níveis mais altos do que o normal de carboidratos e lipídios (materiais gordurosos) nas células. Isso, então, cria danos às células e desencadeia o sintomas relacionado a Mucolipidosis síndromes.

Em alguns indivíduos afetados, o sintomas estão presentes ao nascimento, na primeira infância ou eventualmente durante a adolescência. O principal sintomas, incluindo deficiência intelectual, são progressivas e podem piorar com o tempo.

Síndromes Sinônimos:
Ml Iv; Sialolipidose Ml4 ML4 MLIV

Quais mudanças genéticas causam Mucolipidosis?

Um defeito genético é responsável por causar a síndromes. Os genes responsáveis incluem GNPTAB, GNPTAG e MCOLN1. Os indivíduos afetados nascem com a incapacidade de produzir enzimas suficientes para quebrar carboidratos e lipídios.

Essas doenças raras são herdadas em um padrão autossômico recessivo. Herança autossômica recessiva significa que um indivíduo afetado recebe uma cópia de um gene mutado de cada um de seus pais, dando-lhes duas cópias de um gene mutado. Os pais que carregam apenas uma cópia da mutação do gene geralmente não apresentam sintomas, mas têm uma chance de 25% de transmitir as cópias das mutações do gene para cada um de seus filhos.

Quais são os principais sintomas de Mucolipidosis?

O sintomas variam de acordo com o tipo de Mucolipidosis um indivíduo tem.

Mucolipidosis tipo I (ML I): edema em todo o corpo geralmente presente ao nascimento, língua grande, ponte nasal plana e gengivas aumentadas. Outro sintomas incluem anormalidades esqueléticas, convulsões, tremores, deficiência de crescimento e infecções respiratórias. A expectativa de vida raramente ultrapassa um ano.

Mucolipidosis tipos II e III (ML II e ML III): sintomas do tipo II da doença costumam ser graves. Eles incluem características faciais grosseiras, anormalidades esqueléticas, fígado e baço aumentados, nanismo de tronco curto e infecções respiratórias recorrentes. A expectativa de vida com esse tipo geralmente é inferior a 7 anos.

Sintomas do tipo III incluem anormalidades esqueléticas, características faciais ásperas e fechamento das córneas. Esta é a forma mais branda da doença e os indivíduos afetados geralmente têm capacidade intelectual normal. A expectativa de vida chega à idade adulta.

Mucolipidosis tipo IV (ML IV): principal sintomas incluem atraso motor grosso, a maioria dos indivíduos afetados não são capazes de caminhar independentemente. Visão prejudicada é outro importante sintoma. Em alguns casos, os indivíduos afetados podem ter sintomas ainda mais leves sintomas.

Possíveis traços / características clínicas:
Incoordenação, Comprometimento cognitivo, Opacificação do estroma corneano, Distúrbio da marcha, Genu recurvatum, Hiperreflexia, Microcefalia, Estrabismo, Tetraplegia espástica, Início infantil, Degeneração retiniana progressiva, Retinopatia, Ceratodermia palmo-plantar, Fotofobia, Herança óptica recortada, Nistofobia, Atragmo óptico , Corpo caloso displásico, Anormalidade no EEG, Vermelhão do lábio inferior com evasão, Amplitude do eletrorretinograma adaptada à luz e ao escuro diminuída, Características faciais grosseiras, Estagnação do desenvolvimento, Comprometimento neurológico da fala, Testa estreita, Deficiência intelectual, Hipotonia muscular, Microdontia, Morfologia nasal anormal, Gangliosídeo acumulação, Eletrorretinograma anormal, Anormalidade do metabolismo do mucopolissacarídeo, Anormalidade da morfologia do abdômen, Anormalidade da pigmentaão da retina, Atrofia cerebelar, Desmielinização cerebral, Aplasia / Hipoplasia da musculatura da parede abdominal, Fala ausente, Sinal de Babinski

Como alguém faz o teste de Mucolipidosis?

O teste inicial para Mucolipidosis pode começar com a triagem de análise facial, por meio do FDNA Telehealth plataforma telegenética, que pode identificar os principais marcadores do síndromes e delineia a necessidade de mais testes. Seguirá uma consulta com um conselheiro genético e, em seguida, um geneticista. 

Com base nesta consulta clínica com um geneticista, as diferentes opções para testes genéticos serão compartilhadas e o consentimento será solicitado para testes adicionais.

Informações médicas sobre Mucolipidosis

Syndrome Overview:
Mucolipidosis IV is a neurodegenerative lysosomal storage disorder characterized by severe psychomotor delay and progressive visual impairment. Corneal clouding, retinal degeneration, increased blood gastrin levels and iron defficiency anemia are common manifestations. Mutations in the MCOLN1 gene cause this autosomal recessive disorder.

Clinical Description:
The main features of this condition are intellectual disability and clouding of the corneas, but the presentation can vary widely. Severe developmental delay, spasticity, hypotonia and the inability to walk independently are common and typically begin in early childhood. The MRI is thought to be characteristic (Frei et al., 1998). There is hypoplasia of the corpus callosum, with absent rostrum and a dysplastic or absent splenium, T1-weighted white matter changes and increased ferritin deposits in the thalami and basal ganglia. In the later stages of the disease, optic atrophy and a pigmentary retinopathy become apparent.
Cytoplasmic inclusions - in both single membrane-bound vesicles filled with granular material consistent with mucopolysaccharides and lamellar concentric bodies consistent with phospholipids - are found on EM of conjunctival and corneal biopsy material. Mild hepatosplenomegaly may be present. Facial dysmorphism is not a prominent feature, but puffy eyelids and a coarse face have been reported (Chitayat et al., 1991). The facial features may also coarsen with age.

Schiffmann et al., (1998) studied 15 patients and found an increased chance of iron deficiency. Gastroscopy in three patients showed that parietal cells contained large lysosomal inclusions. Constitutive achlorhydria was demonstrated.

About 50% of cases have been of Ashkenazi Jewish descent, and the carrier frequency in this population is 1 in 100 (Bargal et al., 2000).

In a follow-up study of 28 patients by Altarescu et al., (2002) all had achlorhydria with an elevated plasma gastrin level, and 12 had iron deficiency anemia. Mutations in the MCOLN1 gene were present in all.

Smith et al., (2002) reviewed the ophthalmic findings in 22 patients. All patients demonstrated some degree of corneal clouding, retinal vascular attenuation and optic nerve pallor. Extraocular motility disturbance (strabismus and/or nystagmus) was reported in 63%.

Note the four patients reported by Bindu et al., (2009) from India, who presented with spasticity. None had corneal or retinal problems, although one had optic atrophy. All had thinning of the corpus callosum.

Wakabayashi et al., (2011) argue Mucolipidosis type IV is underrecognized due to its variable phenotypic presentation, and the disorder has been misdiagnosed as cerebral palsy.

Fisher et al., (2017) reported the longitudinal development of a child who participated in an augmentative and alternative communication intervention and showed improvement of expressive vocabulary.

Age of Onset:
The emergence of neurologic manifestations, such as severe psychomotor delay, is variable but usually starts in early childhood and typically in the first year of life. The onset of ophthalmologic symptoms, such as corneal clouding and retinal degeneration, also varies but is common during the first and second year of life.

Molecular genetics:
Slaugenhaupt et al., (1999) mapped the gene to 19p13.2-13.3. Bargal et al., (2000), Sun et al., (2000) and Bassi et al., (2000) demonstrated mutations in a novel gene encoding a protein of 580 amino acids named mucolipin-1. There appeared to be one transmembrane helix and at least five transmembrane domains. It was speculated that this was a new ion channel protein.

From haplotype analysis, Bassi et al., (2000) identified two major founder mutations in the Ashkenazi Jewish population.

A method of rapid detection for the two common Ashkenazi Jewish mutations - (IVS3-1A->G and delEX1-EX7) - is reported by Wang et al., (2001).

Gilbert (2001) reviewed the possibility of carrier screening in Ashkenazi Jewish populations.

Edelmann et al., (2002) reported their experience in screening for carrier status in the American Ashkenazi Jewish population. The frequencies of the IVS3-2A-G and 511del6434 mutations were 0.54% and 0.25%, respectively, for a combined carrier frequency of 0.79% or 1 in 27 individuals (95% CI 0.40%-1.17%). The addition of both mutations causing this neurodegenerative disorder should be considered for parental carrier screening in this population.

Shiihara et al., (2016) described a male patient with mild clinical presentation; no corneal clouding was present. White matter volume reduction over time was observed; additional features were cerebellar atrophy, low signal intensities in the globus pallidi and thalami, and features suggestive of iron accumulation.

A male patient from a consanguineous family was reported by Gowda et al., (2017).

Genotype-Phenotype Correlations:
The two common Ashkenazi Jewish mutations are associated with a more severe presentation of the disease (Altarescu et al., 2002).

* This information is courtesy of the L M D.
If you find a mistake or would like to contribute additional information, please email us at: [email protected]

Seja mais rápido e preciso Diagnóstico Genético!

Mais de 250,000 pacientes analisados com sucesso!
Não espere anos por um diagnóstico. Aja agora e economize um tempo valioso.

Começa aqui!

"Nosso caminho para o diagnóstico de uma doença rara foi uma jornada de 5 anos que só posso descrever como uma viagem sem mapa. Não sabíamos nosso ponto de partida. Não sabíamos nosso destino. Agora nós temos esperança. "

Imagem

Paula e Bobby
Pais de lillie

O que é FDNA Telehealth?

A FDNA Telehealth é uma empresa líder em saúde digital que fornece acesso mais rápido a análises genéticas precisas.

Com uma tecnologia hospitalar recomendada pelos principais geneticistas, nossa plataforma exclusiva conecta pacientes a Especialistas Em Genética para responder às suas perguntas mais urgentes e esclarecer quaisquer dúvidas que possam ter sobre seus Sintomas.

Benefícios do FDNA Telehealth

Ícone FDNA

Credibility

Nossa plataforma é usada atualmente por mais de 70% dos geneticistas e tem sido usada para diagnosticar mais de 250,000 pacientes em todo o mundo.

Ícone FDNA

Acessibilidade

O FDNA Telehealth fornece análise facial e triagem em minutos, seguido por acesso rápido a conselheiros genéticos e geneticistas.

Ícone FDNA

Fácil de usar

Nosso processo contínuo começa com um diagnóstico online inicial por um conselheiro genético e segue por consultas com geneticistas e testes genéticos.

Ícone FDNA

Acurácia - Precisão

Recursos e tecnologia avançada de inteligência artificial (AI) com uma taxa de precisão de 90% para uma maior precisão análise genética.

Ícone FDNA

Valor para
Dinheiro

Acesso mais rápido a conselheiros genéticos, geneticistas, testes genéticos e um diagnóstico. Em até 24 horas, se necessário. Economize tempo e dinheiro.

Ícone FDNA

Privacidade e segurança

Garantimos a máxima proteção de todas as imagens e informações do paciente. Seus dados estão sempre protegidos, protegidos e criptografados.

O FDNA Telehealth pode aproximar você de um diagnóstico.
Agende uma reunião de Aconselhamento Genitico online dentro de 72 horas!

EspañolDeutschPortuguêsFrançaisEnglish